Publicidade

 


Resultados 1 a 1 de 1

Tópico: Como o dinheiro público anda a financiar call centers de empresas privadas

  1. #1
    Administrador Avatar de pinoquio38
    Data de Inscrição
    Oct 2006
    Localização
    Republica das Bananas
    Idade
    56
    Mensagens
    9.369
    Agradecer
    738
    Agradecido 2.171 vezes
    Em 1.342 tópicos
    Entradas no Blog
    77

     

    Padrão Como o dinheiro público anda a financiar call centers de empresas privadas

     

    Já antes tínhamos chamado a atenção para a forma como as autarquias estão a captar a instalação de call centers nos municípios.

    Multiplicam-se os benefícios dados a empresas privadas que incluem, por exemplo, a cedência de instalações, o pagamento de rendas e até de materiais de escritório e de limpeza. Esta é uma área que deve merecer maior escrutínio por parte dos cidadãos de vários pontos do país ou não fossem os call centers locais onde abunda o trabalho precário e mal pago.




    Tomemos o exemplo de Viseu, nomeadamente para a instalação do contact center da Altice. Na verdade a operação tem como intermediária a Randstad, que assume a gestão do contact center para a Altice. No Protocolo de Colaboração entre a autarquia e a Randstad, com o prazo de cinco anos, e no Contrato Promessa de Subarrendamento para Fins Não Comerciais surgem vários dados curiosos:

    • Os processos de recrutamento e selecção da Randstad decorrem em instalações cedidas ou arranjadas gratuitamente pela autarquia;
    • A autarquia, em colaboração com outras entidades, incluindo a Randstad, indica os “professores/formadores de francês, dependendo a mesma da encomenda de serviço e prazos que venham a ser comunicados à Randstad pelo seu cliente Altice”. Se é a autarquia que “indica” os formadores, tendo em conta os interesses da Randstad, quem é que os remunera? O acordo é omisso em relação a isso.
    • Autarquia paga renda de 1.800 euros por mês à Universidade Católica de Viseu, uma vez que é aí que se encontra instalado o contact center.
    • De acordo com o Contrato de Subarrendamento, as despesas de água, luz, gás, segurança, manutenção e limpeza diária das instalações ficam a cargo da Randstad. No entanto, a autarquia já publicou no Base um ajuste directo no valor de 69.798,12 euros que mostra que o financiamento vai além do estabelecido. Para mobiliário de escritório, acessórios e produtos de limpeza do call center, o município já pagou 69.798,12 euros.


    http://madespesapublica.blogspot.pt/

  2. # ADS
    ========
    Data de Inscrição
    03-10-2006
    Localização
    G-Sat
    Idade
    6
    Mensagens
    Muitas

       Publicidade

     

     

Tópicos Similares

  1. Respostas: 0
    Última Mensagem: 15-01-2016, 11:54
  2. Respostas: 0
    Última Mensagem: 04-09-2014, 15:54
  3. Respostas: 0
    Última Mensagem: 20-08-2013, 21:01
  4. Respostas: 0
    Última Mensagem: 15-08-2013, 18:36
  5. Cliente poderá reclamar via internet de call centers
    Por argued_juggler no fórum Brasil
    Respostas: 0
    Última Mensagem: 21-08-2009, 18:06

Tags para este Tópico

Patrocínio em Destaque

Marcadores
DESCUBRA A DECO PROTESTE
Experimente já, durante 2 meses por apenas 2€ e receba um leitor MP5 multimédia de presente!
Saiba mais aqui.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •