Publicidade

 


Resultados 1 a 1 de 1

Tópico: Violação dos direitos humanos no ocidente, da ilusão à realidade

  1. #1
    Administrador Avatar de pinoquio38
    Data de Inscrição
    Oct 2006
    Localização
    Republica das Bananas
    Idade
    57
    Mensagens
    9.712
    Agradecer
    738
    Agradecido 2.183 vezes
    Em 1.347 tópicos
    Entradas no Blog
    77

    Padrão Violação dos direitos humanos no ocidente, da ilusão à realidade

     

    Embora na declaração Universal dos Direitos Humanos e os documentos internacionais não haja conversado sobre a liberdade religiosa e o respeito e não discriminação a causa deste assunto, nos dias de hoje, vemos que na Europa e nos Estados Unidos, pressupostos afirmadores da liberdade e os direitos humanos, têm aumentado a islamofobia, os ataques de militantes e a discriminação contra os muçulmanos.


    Além disso, embora os governos sejam obrigados, segundo documentos internacionais a fornecer segurança e condições de vida para todos os cidadãos, sem discriminação de raça e religião, parece que os responsáveis de alguns governos não têm tomado medidas sérias a este respeito e, em alguns países, em conferências e comentários que se dão, provocam este tipo de violência.

    Estima-se que cerca de três milhões de muçulmanos vivem em toda a Grã-Bretanha, durante estes dias tenham sido expostos a violações e ataques por militantes racistas e extremistas. Segundo o relatório, de um grupo de vigilância da islamofobia no Reino Unido, chamado de "Tell Mama", mais de cem mesquitas nos últimos três meses e meio têm sido alvos de ataques. De acordo com o relatório da polícia, os ataques islamofóbicos aumentaram 58 por cento após o referendo de saída do Reino Unido da União Europeia.

    Recentemente, através de um comunicado, o Conselho Muçulmano da Inglaterra, manifestou sua preocupação sobre o aumento dos ataques contra os muçulmanos nas mesquitas e lugares islâmicos no país. Nesta declaração se lê que durante os dias passados realizaram ataques contra os muçulmanos, e esta questão deve ser tida em conta pelos líderes dos principais partidos.

    -Um homem armado com uma faca em Londres, em um ataque islamofóbico feriu um muçulmano de origem de Bangladesh causando ferimentos nos olhos e no peito pelo que teve que ser hospitalizado.

    -Em outro incidente, em Londres, outro homem tentou tirar o véu da cabeça uma mulher muçulmana; a mulher tentou se proteger e impedir que seja removido o véu, perante olhos indiferente de pessoas que circulavam por lugar do incidente.

    -Outro ataque racista sucedeu em uma mesquita na Escócia "Cumbernauld" quando os atacantes escreveram slogans islamofobicios nas paredes do recinto sagrado.

    -Segundo o comunicado do Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha, a polícia neste país tem informado que estava crescendo número de ataques islamofobios, a tal ponto que a ganhadora britânica de concursos de culinários no ano passado, Nadia Hussein disse que no trem onde viajava, um homem se recusou a sentar-se no assento ao lado dele porque "não queria sentar ao lado de um muçulmano.

    O secretário-geral do Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha, Haron Khan, nesta versão, pediu a todos os líderes dos partidos britânicos tomarem medidas contra a crescente onda de islamofobia no país e solidariedade para com os muçulmanos que radicam nele.

    -Em outro incidente ocorrido recentemente na Suíça, três adoradores muçulmanos foram feridos por um atirador que invadiu um centro de oração islâmica onde estavam reunidos. Polícia de Zurique também informou sobre danos a edifícios vizinhos a recinto. As vítimas eram três homens de 30, 35 e 56, o mais jovem e o maior ficavam gravemente feridos.

    Nos Estados Unidos, após a vitória de Donald Trump, tem aumentado a onda de ataques contra muçulmanos. Trump durante a sua campanha, se comprometeu proibir a entrada de mais muçulmanos e refugiados ao seu país. Neste sentido, os muçulmanos anunciaram que se Trump cumprir o que declarado, estaria violado um dos importantes princípios fundamentais dos Estados Unidos baseado em liberdade da religião. Agora, com Trump como presidente dos Estados Unidos, se tem criado uma atmosfera em escolas, universidades e comunidade norte-americana em que os muçulmanos não se sentem seguros.

    Segundo as estatísticas anunciadas pelo Conselho de Relações muçulmanos dos EUA em Los Angeles, a partir do dia da realização de eleições presidenciais nos EUA até agora, receberam cerca de 200 relatos de ataques contra muçulmanos no país mencionado.

    As medidas violentas e discriminatórias contra os muçulmanos nos Estados Unidos e seu crescimento após a eleição do novo presidente dos Estados Unidos tem causado muita preocupação entre os ativistas cívicos.

    Tanto assim que na tarde do Sábado 17 de dezembro, a convite do Centro para a Paz, em Washington, mais de três mil pessoas de ativistas cívicos e políticos e outro status da comunidade americana participaram de uma reunião onde estudaram maneiras de combater medidas de Gabinete de Trump contra os muçulmanos.

    Na consulta, o advogado e analista, Deepa Iyer em um discurso sobre o tema da justiça racial e solidariedade no contexto da evolução demográfica nos Estados Unidos em bairros e escolas e sobre o registo de muçulmanos dentro do ano 2001, em Nova York, disse: Passada 15 anos dos acontecimentos de 11 de Setembro, ainda estamos testemunhando a discriminação racial e a discriminação extra e violência contra muçulmanos nos Estados Unidos".

    "Depois do 11 de Setembro, uma lei foi aprovada nos EUA pela qual os muçulmanos tiveram que se registrar no Departamento de Imigração.

    Depois destes acontecimentos, o departamento continua a operar dentro do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos.

    "Devido a esta lei, dezenas de muçulmanos foram presos ou deportados injustamente, e embora em 2005, a lei em questão fosse cancelado, o Gabinete de Trump tem a intenção de revigora-la novamente".

    O ativista passou a dizer: "Por tudo isso, peço-lhes estar preparados e evitar que Trump novamente fazer cumprir esta lei." Ele também exortou os participantes a entrar em contato com seus representantes regionais no Congresso para pedir a Obama, para eliminar essa lei, do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos para que o novo presidente não comece a vigora-la de novo.



    Pravda.ru - Fonte

  2. # ADS
    ========
    Data de Inscrição
    03-10-2006
    Localização
    G-Sat
    Idade
    6
    Mensagens
    Muitas

       Publicidade

     

     

Tópicos Similares

  1. Violação dos direitos humanos em angola piorou
    Por Joao Santos no fórum Angola
    Respostas: 0
    Última Mensagem: 30-01-2015, 22:49
  2. Respostas: 0
    Última Mensagem: 11-12-2014, 15:43
  3. [Resumo] O desenvolvimento e os direitos humanos
    Por Joao Santos no fórum Economia
    Respostas: 0
    Última Mensagem: 26-03-2012, 15:20
  4. Ordem dos advogados acusa governo de violação dos direitos humanos
    Por pinoquio38 no fórum São Tomé e Príncipe
    Respostas: 0
    Última Mensagem: 24-09-2010, 20:57
  5. Direitos Humanos
    Por DarkSoul no fórum Actualidades
    Respostas: 2
    Última Mensagem: 26-04-2008, 07:45

Tags para este Tópico

Patrocínio em Destaque

Marcadores
DESCUBRA A DECO PROTESTE
Experimente já, durante 2 meses por apenas 2€ e receba um leitor MP5 multimédia de presente!
Saiba mais aqui.

Permissões de Postagem

  • Você não pode iniciar novos tópicos
  • Você não pode enviar respostas
  • Você não pode enviar anexos
  • Você não pode editar suas mensagens
  •